OSMAR RUIZ JÚNIOR

VIRTUDES VELADAS, VÍCIOS REVELADOS

Textos

DINHEIRO, PARA QUE (TANTO) DINHEIRO?!

Você já observou que, onde não há senso crítico, bom senso e discernimento, o cidadão comum tem um fetiche com o dinheiro, ou seja, as pessoas desejam possuí-lo de forma incansável e obstinada, não obstante atribuam ao “papel-moeda” a fama de ser a fonte de todos os males que afligem a humanidade! Em casos ainda mais extremos de insanidade e estupidez, o dinheiro é idolatrado como a fonte mais confiável para garantir a felicidade e as benesses do capitalismo! Pelo amor de Deus, chega de conversa fiada! O dinheiro é apenas um símbolo, não é bom tampouco é mal, pois ele é tão somente utilizado para facilitar as trocas de mercadorias, tendo em vista que a prosperidade de um povo está, necessariamente, na sua capacidade de produzir riquezas e agregar valor a elas por meio do trabalho e da tecnologia!
Numa terra em que as pessoas não têm o hábito da leitura e da reflexão, o lucro e o empreendedorismo são tidos como atividades de pessoas egoístas, arrogantes e ambiciosas! Todavia, a pessoa que exerce um cargo eletivo (um político, por exemplo), que nada produz, não tece e não fia, só desconfia, e, no entanto, distribui dezenas de cargos em comissão e “vende favores”, esse tipo de “gente” é admirada e tida como um “salvador da pátria” bem como um modelo a ser seguido! Pode uma coisa dessas! Lamento desapontá-los, mas, enquanto nós pensarmos desse jeito, o Brasil continuará patinando no cenário político-econômico internacional e servirá apenas de chacota das grandes potências do planeta!
Osmar Ruiz Júnior
Enviado por Osmar Ruiz Júnior em 03/11/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras